Blog do Waldemar

SEM SAÍDA: Bolsonaro tenta aplacar crise com Congresso após compartilhar vídeo crítico

Após receber críticas do Legislativo e do Judiciário, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) entrou em contato ontem com deputados e senadores para negar que estivesse convocando simpatizantes e aliados para participar de um protesto contra os dois poderes.
Gio Mendes, do UOL
Um dia antes, Bolsonaro havia compartilhado em um grupo de WhatsApp um vídeo que convoca a população a ir às ruas em 15 de março para defendê-lo. Temendo sofrer retaliações na pauta econômica, o presidente também orientou ministros a não endossar protestos com críticas ao Legislativo.
O presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Dias Toffoli, e o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) reagiram com críticas ao apoio de Bolsonaro à manifestação, assim como outros políticos e ministros do Supremo. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), não se manifestou.
Bolsonaro escalou o general Luiz Eduardo Ramos, ministro da Secretaria de Governo, para defendê-lo junto à opinião pública e aos líderes partidários. Em entrevista à Folha, o general disse que o presidente só havia se emocionado com o vídeo e o compartilhado com amigos, sem fazer ataques ao Congresso.
A preocupação de sofrer retaliações na pauta econômica não é apenas de Bolsonaro. A equipe econômica do governo teme que a tensão entre o presidente e o Congresso possa afetar o ritmo de avanço das reformas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *