Após a visita de Léo Índio, primo de Carlos Bolsonaro, ao Maranhão, Maura Jorge teve a garantia de que ganharia um cargo no governo Bolsonaro.
O sonho de consumo da ex-prefeita de Lago da Pedra era a Embratur. O objetivo dela era fazer o mesmo caminho de Flávio Dino, que coordenou o órgão antes de se eleger governador do Maranhão.
Mas, mais uma vez, Maura foi preterida. Apesar de ter dado como desculpa questões familiares, ela não conseguiu se viabilizar para o cargo.
Em vez de Maura Jorge, Bolsonaro escolheu o sanfoneiro Gilson Machado Neto, músico da banda de forró Brucelose. Isso tudo depois de perder o comando político de Lago da Pedra para um repentista.
Para a ex-prefeita, até agora nada…
Do Marrapá