Blog do Waldemar

DEVASTAÇÃO QUASE TOTAL! PF investiga incêndio no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Fogo começou no dia 12 de outubro e foi controlado quatro dias depois, mas novos focos surgiram. Chamas já destruíram mais de 64 mil hectares do parque.

PF investiga incêndio no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

O Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, maior unidade de conservação de Cerrado no mundo, enfrenta desde o dia 12 de outubro um incêndio que já destruiu cerca de 25% do parque. A área atingida pelo fogo corresponde a mais de 64 mil hectares do local, o equivalente a mais de 45 campos de futebol.

Do G1

O que já se sabe sobre o incêndio na Chapada dos Veadeiros:

Quando o incêndio começou?

O incêndio na Chapada dos Veadeiros começou no dia 12 de outubro e foi controlado no dia 16. No dia seguinte, novos focos surgiram em uma área às margens da GO-118, após a região dos aceiros, que funcionam como uma barreira para evitar as chamas. O combate ao fogo já dura mais de 10 dias.

Queimada no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros já destruiu mais de 60 mil hectares em Goiás (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)Queimada no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros já destruiu mais de 60 mil hectares em Goiás (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Queimada no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros já destruiu mais de 60 mil hectares em Goiás (Foto: Reprodução/TV Anhanguera)

Como o incêndio começou?

O chefe do parque, Fernando Tatagiba, afirma que o início do fogo foi um ato criminoso. Segundo ele, não existe a possibilidade de combustão espontânea na região. Tatagiba disse, ainda, que 100% dos incêndios na seca no Cerrado são provocados pelo homem.

O ministro do Meio Ambiente, Marcelo Cruz, pediu ao Ministério da Justiça que a Polícia Federal apure a origem do incêndio. Ele disse que testemunhas relataram ter visto motociclistas transportando gasolina na região e afirmou que essa informação deve ser investigada.

Combate ao incêndio no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros envolve mais de 100 bombeiros (Foto: Davi Boarato/BBC Brasil)Combate ao incêndio no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros envolve mais de 100 bombeiros (Foto: Davi Boarato/BBC Brasil)

Combate ao incêndio no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros envolve mais de 100 bombeiros (Foto: Davi Boarato/BBC Brasil)

Quanto do parque já foi destruído?

Até quarta-feira (25), ao menos 25% do parque já havia sido queimado. A área incendiada ultrapassa 64 mil hectares, o que corresponde a mais de 45 campos de futebol. A destruição foi repercutida até pela Nasa, a agência espacial americana, que divulgou fotos de satélite mostrando o parque antes e depois do incêndio.

De acordo com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), duas linhas de fogo já foram controladas: uma na região do Rio das Cobras e outra próximo ao Morro da Baleia. As equipes seguem combatendo outras duas linhas.

Imagens captadas por satélite da Nasa mostram o antes e o depois dos incêndios na Chapada (Foto: Nasa)Imagens captadas por satélite da Nasa mostram o antes e o depois dos incêndios na Chapada (Foto: Nasa)

Imagens captadas por satélite da Nasa mostram o antes e o depois dos incêndios na Chapada (Foto: Nasa)

Quem está trabalhando no combate às chamas?

Mais de 200 brigadistas e voluntários trabalham para combater as chamas na unidade, com aviões e helicópteros. A Força Aérea Brasileira (FAB) também cedeu um avião Hércules para ajudar no trabalho, despejando água sobre os focos de incêndio. Além do combate, as equipes fazem trabalho de orientação e fiscalização para evitar que pessoas coloquem fogo na mata.

Brigadistas chegam a fazer jornadas de 30 horas para combater o incêndio na Chapada dos Veadeiros, em Goiás (Foto: Divulgação/PRF)Brigadistas chegam a fazer jornadas de 30 horas para combater o incêndio na Chapada dos Veadeiros, em Goiás (Foto: Divulgação/PRF)

Brigadistas chegam a fazer jornadas de 30 horas para combater o incêndio na Chapada dos Veadeiros, em Goiás (Foto: Divulgação/PRF)

Como a população está se mobilizando para ajudar os brigadistas?

Moradores da região de São Jorge e Alto Paraíso de Goiás estão se organizando para ajudar quem trabalha no parque. Em uma casa, um quarto foi reservado para armazenar os donativos recebidos. Uma equipe separa os alimentos, monta os kits e, depois, os distribui para os brigadistas.

A campanha ganhou o apoio de diversos artistas, que compartilharam mensagens pedindo doações para os brigadistas que trabalham no parque. A top model Gisele Bündchen, por exemplo, publicou na terça-feira (24) um post pedindo “SOS Chapada dos Veadeiros” em suas redes sociais. Além dela, dezenas de atores, cantores e personalidades estão se mobilizando.

Moradores recebem orientação sobre como cuidar de animais feridos pelo fogo na Chapada dos Veadeiros (Foto: Davi Boarato/BBC Brasil)Moradores recebem orientação sobre como cuidar de animais feridos pelo fogo na Chapada dos Veadeiros (Foto: Davi Boarato/BBC Brasil)

Moradores recebem orientação sobre como cuidar de animais feridos pelo fogo na Chapada dos Veadeiros (Foto: Davi Boarato/BBC Brasil)

Por que a Chapada dos Veadeiros é tão importante para o meio ambiente?

O parque é a maior reserva de Cerrado do mundo, com mais de 240 mil hectares. O local é considerado Patrimônio Mundial pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura. Estão em regiões próximas ou dentro da Chapada dos Veadeiros três aquíferos: o Guarani, o Urucuia e o Bambuí.

No Cerrado estão as nascentes de seis das oito bacias hidrográficas brasileiras: Araguaia, Tocantins, Atlântico Norte, Nordeste, Bacia do Parnaíba, São Francisco, Atlântico Leste, Bacia do Rio Paraná.

O Cerrado é um dos ambientes mais antigos do planeta, com mais de 2 bilhões de anos. É o bioma de maior formação vegetal da América do Sul, perdendo apenas para a Amazônia. No Cerrado estão 62% das cavernas brasileiras (cerca de 4 mil), que ajudam a água da chuva a ir para o lençol freático, além de ser o berço de uma das maiores biodiversidades do mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *