Blog do Waldemar

DISPAROS ILEGAIS: Márcio Jerry aponta inconsistência no discurso de Hans River na CPMI das Fake News

Durante CPMI das Fake News no Congresso, na tarde desta terça-feira (11), o deputado federal Márcio Jerry (PCdoB) apontou inconsistência no depoimento de Hans River do Rio Nascimento, que se negou a responder os questionamentos do parlamentar. Ex-funcionário da Yacows, empresa investigada por fraude em disparos ilegais de mensagens via WhatsApp nas últimas eleições, Hans chegou a alegar na Comissão que prestou serviços para o PT, mas não apresentou provas. Entretanto, reportagem da Folha de São Paulo publicada em dezembro de 2018, mostra que a agência foi contratada para a campanha do presidente eleito, Jair Bolsonaro, atualmente sem partido, na época filiado ao PSL.
“Há alguma coisa que o senhor falou ou omitiu aqui, nesta tarde, que queira refazer para que não seja incurso como cometendo um crime? O senhor tem o direito de fazer isso. Cada ausência de resposta é a confirmação do que estou falando. O senhor está aqui, de maneira desrespeitosa, deixando de responder a questões essenciais”, questionou Jerry.
Diante do silêncio de Hans, o deputado prossegui: “Consignarei mais uma pergunta para o silêncio comprometedor da testemunha O senhor falou aqui uma, duas, três vezes sobre o PT. Eu quero que o senhor apresente uma circunstância plausível, crível, que as pessoas acreditem. Por que tem que ter um contrato, um contato, um dia, uma hora e um escritório, algo que nos convença, com clareza de informação, qual é a circunstância. Só quero uma, não quero 10”, disse.
Hans afirmou então que ‘não daria resposta’, e Márcio Jerry concluiu: “Por que não tem”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *