Blog do Waldemar Ter

RACHANDO! Rodrigo Maia ganha apoio do partido de Bolsonaro, mas cria atritos com outros aliados

Rodrigo.Atual presidente da Câmara dos Deputados recebe apoio do PPS para disputar reeleição

Um dia depois de receber o apoio do PSL e do PRB, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), ganhou mais uma adesão nesta quinta-feira (3) e ampliou o seu favoritismo. Com uma bancada eleita de oito deputados, o PPS também anunciou apoio à reeleição de Maia. Agora, a lista de legendas que tendem a acompanhar o deputado do DEM subiu para 13. Juntos, somam mais de 300 parlamentares. Mas o acordo com partido do presidente Jair Bolsonaro pode provocar dissidências.

  

 

Além do PPS, do PSL e do PRB, PSD, PR, PSB, PSDB, DEM, PDT, SD, PR, Podemos e PCdoB já sinalizaram – nem todos oficialmente– aliança com o atual presidente da Câmara para o seu terceiro mandato consecutivo.

Até o PT indicava disposição de integrar o bloco de Maia. Mas já comunicou que desistiu da ideia depois da adesão do PSL. Também insatisfeitos, o PDT e o PSB podem tomar o mesmo rumo.

Leia mais

Presidente do PSL anuncia apoio do partido à reeleição de Rodrigo Maia na Câmara

Estreante, o deputado Marcelo Freixo (Psol-RJ), anunciou nesta quinta que vai enfrentar Rodrigo Maia para contrapor com uma “agenda social” a pauta econômica liberal abraçada pelo atual presidente da Câmara e pelo ministro da Economia, Paulo Guedes.

O líder do PPS na Câmara, deputado Alex Manente (PPS-SP), defende que Maia é “equilibrado e possui todos os requisitos” para permanecer no cargo. “Ele assumiu a presidência da Câmara em um momento delicado, com a autorização do processo de impeachment de Dilma pela Casa e substituindo Eduardo Cunha”, justifica.

Alexandre Frota negociou apoio do PSL a Rodrigo Maia

Outros nomes seguem em campanha, como Fábio Ramalho (MDB-MG), atual primeiro vice-presidente da Câmara, e os deputados Alceu Moreira (MDB-RS), JHC (PSB-AL) e Capitão Augusto (PR-SP). A eleição da Mesa Diretora ocorrerá em 1º de fevereiro, mesmo dia em que os parlamentares serão empossados para quatro anos de mandato. Considerado o nome mais forte entre esses, Fábio Ramalho diz que o apoio do PSL a Maia não o preocupa: “Tudo pode ocorrer até amanhã do dia da eleição”.

Deixe uma resposta