Muito se falou desde o fim do segundo turno que o governo Bolsonaro seria apenas uma mera continuação da administração desastrosa de Michel Temer.

O primeiro encontro do presidente eleito em Brasília só ratificou isso.

Em evento que marcou os 30 anos da Constituição, Bolsonaro bateu continência para José Sarney, a quem, igual a Temer, deve pedir benção para continuar no poder.

Há alguns meses, o oligarca maranhense colocou Bolsonaro na parede ao afirmar que ele não duraria 6 meses na Presidência.

O susto parece ter funcionado.

E o governo do ex-militar caminha para ser a continuação do de Temer. Cheio de raposas velhas ao seu redor e muitos retrocessos sociais e econômicos.

Do Marrapa